sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Tope e seu artesanato








Em uma visita a localidade Tope a 3km de Viçosa do Ceará, observamos que a fábrica de cerâmica localizada ao lado da igreja local. Apresenta em sua estrutura um galpão construído de tijolos coberto com madeira e telhas, o forno é feito de tijolos, existe ainda duas mesas enormes onde é feita a confecção das peças. Na frente ficam as peças expostas, onde as pessoas visitam e fazem compras, mais atrás existe um outro galpão onde o barro é preparado para a produção e as peças são confeccionadas. Dona Francisca do Tope é uma senhora de aproximadamente 65 anos que afirmar ter criado seus oito filhos as custas de seu trabalho de cerâmica, diz que começou a trabalhar aos 12 anos aprendendo a arte da cerâmica com sua mãe que começou lhe ensinando a fazer pratos, jarros, etc., diz ainda que tem orgulho de seu trabalho pois o mesmo lhe faz muito feliz e afirma que não devemos negar nossas raízes.
D. Francisca relata que até 1997 o trabalho era muito difícil até receber a visita do CEART, que fez reuniões para organizar o trabalho. No início participaram 25 famílias, até que mais tarde essas famílias se separaram devido a divisão do pagamento, restando hoje apenas 16 mulheres trabalhando e alguns homens que ajudam no trabalho, ela afirma que as peças produzidas em sua fábrica são levadas para várias cidades como Fortaleza, Sobral, Rio de Janeiro, Bahia e muitas outras cidades brasileiras, pena que os produtos não tem uma marca própria, perdendo de certa forma seu valor. D. Francisca é considerada desde 2004 mestra da cultura por seus trabalho como ceramista, a mesma conta que para produzir as peças é usado o barro vermelho na confecção de jarros de planta, potes, etc., já o barro branco misturado com o vermelho é usado para confecção de outras peças que são levadas para fora, diz ainda que esse barro é retirado de uma localidade chamada “Cujá” que fica próximo ao Tope.
Para finalizar D. Francisca diz que a tempos atrás era capaz de fazer em torno de 50mpotes em uma semana, hoje seu trabalho é mais voltado para bonecas, presépios e imagens. Visitamos ainda a casa de doces de D. Cilene onde podemos observar uma grande variedade de doces e licores, que a mesma afirmar serem feitos com frutas da própria região e com recursos próprios sem ajuda de entidades particulares.

5 comentários:

  1. Um trabalho desta natureza é muito importante pois vem evidenciar a verdadeira história do povo de viçosa, trazendo ao âmbito historiografico de viçosa pessoas que sempre tiveram as margens de nossa história, como dona francisca do tope. parabéns!!! assis santos.

    ResponderExcluir
  2. nossa assis vc arrasou no comentário!
    mas realmente principalmente pra nós que fazemos história conhecer de perto a realidade de vida das pessoas que nos cerca é muito importante,faz com que valorizamos mais cada ser como único e de igual importância.pena que não deu para ver de perto o trabalho da d.francisca,mas novas oportunidades virão.wanje

    ResponderExcluir
  3. muito bom! estive em viçosa -ce o ano passado, mes 12/20010 e voltei encantado com tanta beleza, passei ai na fabrica e fui muito bem atendido. troxe comigo varios artesanatos de fabricaçao da top. emfim ja estou com saudades pretendo voltar nas proximas ferias. parabens!

    ResponderExcluir
  4. Também faço parte dessa geração de artesãos.Poi ao longo do tempo o artesanato se vou de base para o crescimento da minha carreira artística.Hoje sou professor de artes e Artista plástico.Tenho orgulho da minha terra..Manhoso distrito de Viçosa do Ceará. JSilva /FORTALEZA Ce

    ResponderExcluir
  5. Faço parte de uma quadrilha junina *Milho verde*, nosso tema atual é as belas do artesanato, e nosso foco é o barro, estamos falando do sitio tope.

    ResponderExcluir